Estado de Goiás

Lista de Macroprojetos  

Aplicação da Metodologia da Problematização e ou outras metodologias ativas em disciplinas do Curso de Pedagogia

Pesquisador(a): SONIA BESSA DA COSTA NICACIO SILVA

Linha de Pesquisa: Formação docente e prática pedagógica

Justificativa: Este projeto tem como objeto de estudo a aplicação da metodologia de problematização com o arco de Maguerez em disciplinas do curso de pedagogia da UEG Formosa. Nossa opção pela metodologia da problematização é por que as mudanças propostas se concentram na programação da disciplina, requer alterações na postura do professor e dos alunos para o tratamento reflexivo e crítico dos temas e na flexibilidade de local de estudo e aprendizagem, já que a realidade social é o ponto de partida e de chegada dos estudos pelo grupo de alunos. O que busca-se é um referencial teórico metodológico que possa ajudar o professor no seu trabalho com o conhecimento teórico prático. Este trabalho apoia-se em um quadro teórico composto por estudos e reflexões de diversos autores que discutem a questão da metodologia de problematização.

Á RELAÇÃO DA UNIVERSIDADE NA EDUCAÇÃO EM SOLOS NO ENSINO BÁSICO

Pesquisador(a): ADRIANA APARECIDA RIBON OGERA

Linha de Pesquisa: EDUCAÇÃO EM SOLOS

Justificativa: A educação em solos é um assunto de grande relevância, porém abordado de forma deficiente por professores da rede de ensino básico, mesmo constando na Matriz Curricular Nacional e facilmente encontrado nos livros didáticos apresentados a educação básica, nesse contexto faz se necessário esse projeto com intuito de mostrar a importância da universidade como transmissora da Educação em solos, que poderá ser utilizada por professores do ensino básico, como ferramenta de ensino/aprendizagem nas escolas públicas e privadas da região de Goiás.

As divergências as fugas e os desvios em resenhas acadêmicas um estudo retórico e léxico gramatical do gênero

Pesquisador(a): ALINE MOREIRA DA FONSECA NASCIMENTO

Linha de Pesquisa: Ensino de Língua Portuguesa

Justificativa: A pesquisa justifica se por observar que o gênero resenha é comumente solicitado na Universidade pelos docentes Como professora universitária evidencio pelas resenhas produzidas que os acadêmicos têm dificuldade na produção dos textos Diante disso proponho investigar nas resenhas produzidas pelos acadêmicos do Curso de Letras Português Inglês da Universidade Estadual de Goiás Câmpus de Jussara as divergências as fugas e os desvios em relação ao padrão associado à normalidade do gênero e os elementos formais que sinalizam essa organização no nível léxico gramatical
Para a análise propõe se utilizar um córpus de resenhas baseando se no modelo de análise de Jonh Swales 1990 para criar um espaço de pesquisa voltado para a concepção de gênero como ação sociorretórica colaborando para sua inserção em uma comunidade discursiva
O estudo pretende colocar em consonância teoria e prática apresentando os paradigmas que envolvem o processo de ensino aprendizagem do gênero textual resenha Nesse contexto o projeto procura entender as reais necessidades dos universitários quanto à produção textual desse gênero para identificar as causas que circundam a aprendizagem desse texto na universidade Para tanto as teorias bakhtinianas permitirão adentrar nos textos e assim compreender o estilo a estrutura composicional e a temática
Em se tratando do gênero resenha a estrutura composicional segundo Motta Roth 2010 segue as seguintes etapas apresenta o texto descreve avalia recomenda ou não recomenda a obra resenhada
No que concerne ao estilo podem se inferir as escolhas lexicais a linguagem utilizada o tempo verbal e por fim a temática ou seja o conteúdo do texto a ser resenhado Bakhtin 2011 refere que todos esses três elementos conteúdo temático o estilo a construção composicional estão indissoluvelmente ligados no todo do enunciado e são igualmente determinados pela especificidade de um determinado campo da comunicação Evidentemente cada enunciado particular é individual mas cada campo de utilização da língua elabora seus tipos relativamente estáveis de enunciados os quais denominamos gêneros do discurso
Assim considera se que a pesquisa pode ser relevante na perspectiva de investigar no gênero resenha a estrutura retórica que o compõe Swales 1990 atesta que a produção de textos é uma atividade social com propósito comunicativo
Assim vale notar que para se elaborar uma resenha o gênero escolhido como objeto de pesquisa o resenhador precisa ter espírito crítico e preparo o que é conseguido por meio de leituras eficientes Refere se à leitura em que se observa toda a estrutura do texto realizam se anotações e busca se compreender palavras desconhecidas Nesse contexto faz se pertinente bastante concentração para que as ideias do autor não sejam modificadas ou distorcidas
Por conseguinte cabe à Universidade propiciar atividades que envolvam leituras profundas e proveitosas permitindo aos discentes a construção de uma bagagem de conhecimentos que os auxilie a elaborar com eficácia seus textos

Atividade antimicrobiana de compostos naturais e de síntese

Pesquisador(a): PLINIO LAZARO FALEIRO NAVES

Linha de Pesquisa: Atividade Biológica de Compostos Orgânicos

Justificativa: A atuação sobre os mecanismos de virulência e um promissor alvo para novas abordagens terapêuticas antimicrobianas, estas inovadoras estratégias têm sido propostas e investigadas com o objetivo de afetar mecanismos específicos promotores da infecção ou que sejam essenciais a persistência, tais como a união a receptores celulares, invasão tecidual, sinalização química e formação de biofilme (BROWN et al., 2008; CEGELSKI et al., 2008) por diversos compostos químicos e inibir ou tratar infeccoes (ESCAICH, 2008). O fenômeno da resistência microbiana aos antimicrobianos convencionais tem levado ao aumento da investigação de alternativas terapêuticas e o estudo de compostos com ação inibitória dos fatores de virulência representa uma opção bastante promissora (MARRA, 2006). De uma forma geral, os antimicrobianos podem apresentar limitações de uso devido a fatores como baixa potência, solubilidade reduzida, toxicidade e a emergência de cepas resistentes (DUARTE et al., 2005), o que torna a pesquisa de antimicrobianos inovadores extremamente desafiadora para as indústrias farmacêuticas, que tem diminuído o desenvolvimento de novas moléculas com este propósito (DIXON, 2001; GUIMARAES et al., 2010). Portanto, a modificação de moléculas já existentes e consolidadas na área farmacêutica, visando a modificação de propriedades físico-químicas, torna-se uma opção bastante atraente para o âmbito industrial. A introdução de substituintes pode alterar diversas propriedades físico-químicas de uma molécula, tais como a hidrofobicidade, a conformação estrutural e consequentemente as suas propriedades farmacocinéticas e farmacodinâmicas, além de elucidar a importância desses substituintes em sua atividade biológica.
Em resumo, posteriormente a síntese, purificação e caracterização de diversos compostos serão avaliadas as atividades biológicas, notadamente a toxicidade e a ação antimicrobiana, com o objetivo de desenvolver potenciais ferramentas terapêuticas complementares ao arsenal disponível de drogas convencionais.
Desta forma, a busca de novas alternativas terapêuticas caracteriza um relevante campo de estudo e dentre as novas propostas encontra-se a investigação da ação antimicrobiana e inibitória dos fatores de virulência dos compostos com o objetivo de proporcionar inovadoras ferramentas terapêuticas com atividade
farmacológicas complementares ao arsenal disponível de drogas antimicrobianas convencionais.

CRESCIMENTO E ECOFISIOLOGIA DA PRODUÇÃO, METABOLISMO SECUNDÁRIO E PLASTICIDADE FENOTÍPICA DE ESPÉCIES CULTIVADAS E ENDÊMICAS DO CERRADO E CAATINGA SOB ESTRESSES ABIÓTICOS

Pesquisador(a): FÁBIO SANTOS MATOS

Linha de Pesquisa: Ecofisiologia vegetal

Justificativa: Os Biomas Caatinga e Cerrado apresentam período chuvoso concentrado em poucos meses do ano e temperaturas médias anuais elevadas. A compreensão da fenologia, crescimento e plasticidade de espécies nativas é de grande importância para a geração de renda e exploração sustentável. Os diversos compostos secundários podem representar alternativas indispensáveis para controle de pragas, doenças e plantas daninhas na agricultura convencional e, com isso, minimizar o uso de produtos químicos de elevada periculosidade.
O Bioma Caatinga possui meses de seca com restrição hídrica severa, áreas salinizadas e alta temperatura. O Cerrado apresenta período longo de seca e baixa umidade relativa do ar. Adicionalmente a isto, é comum a inundação, mesmo em curto período durante as chuvas. A vegetação exibe determinadas modificações e adaptações anatômicas, morfológicas e fisiológicas (plasticidade fenotípica) em resposta aos períodos de estiagem e demais estresses característicos de cada clima.
As mudanças climáticas acentuadas por ações antrópicas, como queima de combustíveis fósseis, usos do solo e atividades industriais tem tornado as previsões pessimistas com sinalização de aquecimento global e períodos de seca ou inundações em inúmeras regiões do planeta. Os estresses abióticos podem reduzir a produtividade e em situações severas causar perdas totais de produção, principalmente porque ocorrem de forma múltipla e simultânea. É comum a ocorrência de déficit hídrico ou estresse salino de forma concomitante com os estresses térmico e nutricional causando danos irreversíveis às plantas. A tolerância das plantas a múltiplos estresses pode representar expansão da fronteira agrícola pela obtenção de retorno econômico em áreas consideradas inaptas para cultivos. A elevada adaptabilidade das espécies às variações de clima e solo, além da manutenção do crescimento em condição de estresse possivelmente seja indicativo de tolerância.

Cultura política em trânsito na mídia impressa do Brasil da Virada. Ideias, projetos e retóricas nos suplementos culturais do jornal O Estado de São Paulo, 1978 1990.

Pesquisador(a): ÁLVARO RIBEIRO REGIANI

Linha de Pesquisa: História da América e da África

Justificativa: O termo conciliação foi repetidamente empregado nos Suplementos Culturais do jornal O Estado de São Paulo nas décadas de 1980 e 1990 no Brasil. Este, servia como fundamento teórico para grande parte da população e, em especial, para a formação da opinião pública paulista e serviu para influenciar movimentações de setores partidários e organizados da sociedade para a restituição do poder político civil. Esta massa documental é um indício das estratégias discursivas de parte da intelectualidade brasileira que visou a promoção de um equilíbrio institucional. De acordo com o historiador americanista Thomas E. Skidmore, 1988, o pacto entre as elites atenuaria as tensões, pois, a elite brasileira durante muito tempo orgulhava-se de sua habilidade de manter o consenso político através da conciliação, mesmo tendo o poder assegurado, muitas vezes, pela manipulação e pela repressão. Ao se propor a interpretar esse período, a polissemia do termo conciliação se apresenta em várias modalidades, como em práticas discursivas que produziram estratégias, ora de convencimento ora de manipulação da opinião pública. Contudo, a análise de Skidmore demonstra apenas que as ideias em torno da conciliação não tinham diferenças, apenas resistências de setores militares e de grupos mais exaltados da sociedade civil. Entretanto, em leitura prévia dos suplementos culturais, o conteúdo dos artigos de opinião apontam que o debate intelectual entre liberais e marxistas brasileiros já havia sido polarizados.
De certo, a finalidade da conciliação ensejada pela intelectualidade neoliberal e pelas elites políticas, como interpretadas pela historiografia do período, foi convergente. Esta finalidade, fundamentada em um viés nacionalista e modernizador, faz com que as análises sobre o período não escapem as suas motivações, como sintetizou Thomas Skidmore, em volta do mito da conciliação. Mas, se as práticas discursivas eram, intencionalmente, produzidas por vários grupos as ideias sobre a conciliação não eram um todo homogêneo, mais do que um mero acordo, devem ser entendidas como concorrências, como sinalizou Roger Chartier, 2002, e que suas diferenças são organizadas pelas estratégias de distinção ou de imitação e que os empregos diversos dos mesmos bens culturais, os discursos, se enraízam nas disposições do habitus de cada grupo.
Esses intelectuais neoliberais, em sua maioria, ansiavam por um equilíbrio entre as variadas facções políticas, como se pode observar no conteúdo desses artigos a partir do conjunto de representações do mundo social e da situação política que, mesmo aparentemente homogêneas, carregavam sentidos e significados heterogêneos. Todos esses que colaboraram para a redação dos suplementos culturais viviam sob o signo da tensão, entre as experiências autoritárias e as expectativas democráticas, produzindo discursos que destinavam a serem lidos por um público que, igualmente, passavam pelas mesmas incertezas. Aparentemente, os sentidos empregados pelos colunistas dos suplementos culturais, tinham pontos em comum, o socialismo, o populismo e o autoritarismo seriam falácias ideológicas que, somente, levariam a desordem. E, que a teoria política encontrada no existencialismo alemão pertencia ao ideário neoliberal. Este ponto de vista era comumente encontrado nos artigos de opinião do Estadão, para ressaltar a moral e a política liberal como princípios naturais para a manutenção, progresso e ordem da sociedade brasileira.
Os discursos contidos nos suplementos culturais não representam, em primeira instância projetos ou programas partidários, mas estão conectados a dinâmica que assegurava um determinado local de poder e de prognósticos pautados nessa relação. Conforme a leitura de Marcelo Jasmin, sobre a obra de Reinhart Koselleck, 2002, a ação social, que no caso se inscreve como a produção textual dos colunistas do jornal O Estado de São Paulo, assume horizontes de expectativa futura que a inscreveram como um desdobramento consoante com o processo temporal. Ou como descrito por Koselleck, o prognóstico é um momento consciente de ação política. Ele está relacionado a eventos cujo ineditismo ele próprio libera.
Sob o prisma da História intelectual e cultural, intenta-se compreender os aspectos da cultura política no Brasil, materializadas nos cadernos culturais do jornal O Estado de São Paulo, intenta-se compreender os usos e abusos da teoria política de filósofos como Martin Heidegger, Hannah Arendt e Karl Jaspers no cenário intelectual brasileiro. Por meio de uma sociologia da leitura e da comunicação, como ferramentas metodológicas, pretende-se analisar as estratégias discursivas e os elementos políticos dos artigos de opinião. Ao abordar essas fontes espera-se contextualizar a recepção, a leitura e a circularidade de ideias em sua elaboração intelectual, a produção do texto em formato jornalístico e a recepção dos leitores em potencial.

DESENVOLVIMENTO DE CONCEITOS ECONÔMICOS, EM CRIANÇAS, ADOLESCENTES E JOVENS E SUA INTEGRAÇÃO COM OS SETORES EDUCATIVOS

Pesquisador(a): SONIA BESSA DA COSTA NICACIO SILVA

Linha de Pesquisa: Processos cognitivos e construção do conhecimento

Justificativa: Do ponto de vista educacional é importante o acesso a forma como crianças, adolescentes e jovens representam o mundo social em que estão inseridos. Tal conhecimento pode colaborar na construção de intervenções educativas mais eficazes que permitam aos indivíduos resolver problemas relacionados ao uso racional dos recursos, estimulem a participação cidadã e a busca de estratégias de intervenções para superar a pobreza. Promover programas de alfabetização econômica de adolescentes e futuros professores pode ser uma ferramenta muito importante para ampliar a participação pública no debate e estabelecimento de políticas econômicas, promovendo a oportunidade de conhecer as causas dos problemas sociais e econômicos, ajudando a eliminar representações erradas e criando alternativas políticas e comunitárias. Um indivíduo alfabetizado, economicamente, é capaz de compreender o sistema econômico, o uso e circulação do dinheiro, as instituições financeiras públicas e privadas, os processos produtivos e econômicos.

Desenvolvimento rural sustentável

Pesquisador(a): LUCIANA RAMOS JORDÃO

Linha de Pesquisa: Políticas de desenvolvimento rural sustentável

Justificativa: O Brasil iniciou recentemente série de investimentos em medidas agroambientais em meio rural a fim de promover o desenvolvimento sustentável. Entre elas, destaca-se o novo Código Florestal, o Cadastro Ambiental Rural e o apoio a produtores rurais que adotem práticas vinculadas à baixa emissão de gás carbônico consagrada pelo programa de Agricultura de Baixo Carbono. Todavia, há poucos resultados sensíveis quanto a compreensão destas políticas dentro do cenário de promoção de desenvolvimento rural sustentável, bem como no tangente à adoção destas medidas pelos agricultores.
O debate acerca da modernidade e da necessidade de movimentação do aparato estatal para sustentação do agronegócio encontra justificativa nos índices anualmente divulgados que apontam para os benefícios econômicos do setor. Enquanto isso, propagandeia-se a conversão do atrasado campesinato na agricultura familiar, como se sua extinção significasse um passo adiante no caminho do desenvolvimento.
Neste ponto, o desenvolvimento costuma ser relacionado ao cumprimento de metas puramente econômicas que chegam a ignorar a finalidade pela qual o ser humano trabalha a terra. O direito humano à alimentação adequada enquanto elemento integrante do debate a respeito da produtividade do campo é deixado em segundo plano. Mas, de nada adianta que haja números expressivos de produtividade, se a população morre de fome. De nada servem os imensos campos de soja se a população local não se serve do alimento que, historicamente, não compõe sua alimentação.
Pensar o conceito de desenvolvimento a partir da perspectiva da soberania alimentar e das discussões empreendidas pelos movimentos sociais camponeses pode constituir caminho capaz de abrigar as necessidades dos verdadeiros destinatários das políticas públicas.

Ecologia e conservação de mamíferos em paisagens fragmentadas

Pesquisador(a): WELLINGTON HANNIBAL LOPES

Linha de Pesquisa: Ecologia de paisagens fragmentadas

Justificativa: A perda de habitat tem gerado efeitos negativos sobre a biodiversidade e processos ecológicos, sendo um típico mecanismo de extinção das espécies (Fahrig 2003; Haddad et al. 2015). Os efeitos da perda de habitat podem se manifestar em múltiplas escalas espaciais e a níveis de organização ecológica (García & Chacoff 2007; Haddad et al. 2015), revelando uma forte e consistente resposta dos organismos e dos processos dos ecossistemas (Haddad et al. 2015). Assim, as atividades humana, como a perda e fragmentação do habitat, e o uso da terra, alteram a paisagem e afetam negativamente a biodiversidade globalmente.
As tendências globais para a perda e fragmentação de habitats estão aumentando, atualmente, 34 das ecorregiões terrestres mais ricas em biodiversidade da Terra estão ameaçadas (Mittermeier et al. 2004). Na Mata Atlântica, por exemplo, mais de 80% dos fragmentos remanescentes têm menos de 0,5 km² de tamanho (Ribeiro et al. 2009). Para o Cerrado brasileiro, mais de 50% de seus aproximadamente 2 milhões de km2 foram transformados em pastagens e terras agrícolas (Klink & Machado, 2005). Portanto, o desafio atual é como gerenciar paisagens perturbadas e entender a importância das áreas protegidas para aumentar a preservação da biodiversidade e manutenção dos serviços ecossistêmicos.
Em uma revisão clássica, Fahrig (2003) argumentou que a fragmentação é um processo em escala de paisagem e que a ocorrência do limiar de extinção é uma resposta à perda de habitat. Dessa forma, o tamanho das manchas e o isolamento podem ser indicadores da quantidade de habitat em escala de paisagem, que preve o limiar da fragmentação do habitat na biodiversidade (Andrén 1994; Fahrig 2003; 2013). Vários estudos mostraram que a perda e a fragmentação do habitat também influenciaram diretamente a estrutura da vegetação e indiretamente a disponibilidade de alimentos para espécies de mamíferos (Lambert et al. 2006; Püttker et al. 2008; Cáceres et al. 2010). Assim, a perda e a fragmentação do habitat devem influenciar a composição, abundância e riqueza da comunidade em múltiplas escalas, desde a estrutura da vegetação até a quantidade de habitat ao longo da paisagem.
A fauna de mamíferos do sul de Goiás só foi estudada recentemente, sendo que muitos dos dados referem-se ao inventariamento das espécies (Hannibal et al. 2015; Estrela et al. 2015; Teixeira et al. 2015), sendo listradas 66 mamíferos, distribuídos em: 23 pequenos roedores e marsupiais, 30 mamíferos de médio e grande porte e 13 morcegos. Estudos que avaliam o efeito da fragmentação de habitat sobre a fauna de mamíferos na paisagem fragmentada do sul goiano, são ainda mais recentes (Oliveira & Hannibal 2017; Hannibal et al. 2018; Rocha et al. 2018). Neste macroprojeto, concetrarei minhas perguntas na comunidade de mamíferos [pequenos mamíferos, mamíferos de médio e grande porte, e morcegos] em uma região altamente fragmentada e com um baixo percentual de cobertura vegetal nativa ~15,7% (Rossi 2016) do sul do estado de Goiás, Brasil.

Educação Linguística Crítica e Letramentos

Pesquisador(a): BARBRA DO ROSARIO SABOTA SILVA

Linha de Pesquisa: Educação linguística crítica e Letramentos

Justificativa: Mudanças sociais têm impresso um ritmo acelerado às formas de gerar, divulgar e processar informação. Nem sempre, em tempos hodiernos, temos tido a prática de refletir sobre em que medida tais alterações afetam nosso modo de ser e estar no mundo. Em um momento político e social cercado por incertezas torna-se relevante repensar o papel da linguagem como uma prática social e propor alternativas ao tradicional ensino de linguagens o que tem sido viável por meio dos estudos na área da Linguística Aplicada Crítica (PENNYCOOK, 2001) bem como sobre letramentos críticos (MONTE MOR, 2015).
Estudos críticos em educação linguística busca correlacionar a linguagem e os contextos sociais e para tal considera questões de
acesso, poder, diferença, desigualdade e resistência, sempre atreladas às condições sociohistóricas de produção e reprodução das relações sociais (... visando) entender possíveis explicações para as situações que se apresentam. (TÍLIO, 2017, p. 23-24).
Em nosso campus (Anápolis de CSEH UEG), alguns dos professores e pesquisadores do curso de Letras e do PPG IELT temos nos mostrado sensíveis a esta necessidade e desenvolvido ações dedicadas a esta linha de pesquisa. Foi assim que em 2018 o grupo de estudos INTEGRA foi proposto por três docentes (Ariovaldo Pereira, Barbra Sabota e Viviane Silvestre) a partir da união de seus interesses de estudos. O grupo segue coordenado por seus idealizadores e reúne nossos orientandos (de iniciação científica, prolicenciatura e mestrado) na discussão de textos e desenvolvimento de pesquisas que favoreçam a ampliação do debate sobre a educação linguística por meio da problematização e do questionamento de verdades únicas, promovendo reflexões e transformações no cenário atual de ensino-aprendizagem e formação de professores.
Neste sentido, este macro projeto abriga pesquisas que contemplem os seguintes temas: a) educação linguística crítica em diferentes contextos socioculturais; b) letramentos críticos; d) multiletramentos e novos letramentos (visuais, multissemióticos, digitais, multimidiáticos, hipermidiáticos etc.); e) processos e práticas de (multi)letramentos na escola; f) letramentos (não) hegemônicos e interculturalidade; g) decolonialidade; h) formação docente na perspectiva da educação linguística crítica e ou decolonial.

Total: mostrando até o resultado 10 de 28.

BR 153 Quadra Área, Km 99, Anápolis-Goiás